fbpx

Better Way no podcast Pedarilhos – Marrocos

Postado em África Todos os Posts

Nesse novo programa que gravamos com o pessoal do Pedarilhos falamos sobre nossa temporada no Marrocos.
Foram 3 meses pedalando nesse país de grandes surpresas para nós. Mudança constante de paisagem fizeram a nossa passagem pelo Marrocos ser muito interessante.

Pedalamos mais de 1.500km pelo país. Conhecemos a sua grande maioria de ecossistemas (leia-se, deserto, montanhas, praias, oásis, etc), cidades e vilarejos. Pedalar pelo Marrocos foi uma prova de resistência para nós. Provamos que viajar de bicicleta é necessário viver um dia de cada vez  e que esse dia pode ser brilhante ou não. Compreendemos que viajar de bicicleta te possibilita integrar um pouco mais com os locais justamente por estarmos em contato real com as pessoas que vivem ali, passamos por vilas em uma velocidade menor o que possibilita até mesmo observar a vida acontecendo. Adoramos interagir com as crianças, que ao olharem nós e as bicicletas vinham nos dar um oi na beira da estrada com toda a pureza de uma criança como em qualquer parte do mundo.

Na sequência, vou escrever o relato do país aqui no blog também. Por enquanto, é possível ouvir o podcast aqui ou direto no blog do Pedarilhos (aqui).

Transcrição de comentários que o pessoal do Pedarilhos anotou do podcast:

Foram 3 meses pedalando no Marrocos em pouco mais de 1500km pedalados.

O pedal começou pelo estreito de Gibraltar em Tanger, e fomos rumo ao Rife no nordeste do Marrocos, passando pela cidade Azul de Chefchaouen.

O que percebemos no Marrocos é que se a vila não tem Hotel, ela tem um posto de gasolina, e atrás sempre tinha uma graminha para Acampar.

Uma coisa que fizemos para ajudar na comunicação, foi imprimir fotos, e mostrar.  Em uma das fotos tinha uma barraca e as bicicletas, mostrando que gostaríamos de acampar ali uma noite.

Nem todos os campings no Marrocos são para barracas, muito deles são campings apenas para Motorhome. Vários deles tem o chão muito duro, por isso recomendamos uma barraca auto-portante ou bons espeques.

Após Ifrane nós seguimos para o Sul, passando pelo Mid-Atlas e Midelt. Fomos para o deserto na cidade de Merzouga.

Airbnb no Marrocos vale a pena, já que encontramos habitações bem completas por um valor bastante acessível.

Um aplicativo que ajudou muito e tem ajudado, é o aplicativo MapOut, nele você consegue montar sua rota e saber a altimetria mesmo estando offline.

A dica o café da manhã no Marrocos é durante a pedalada comprar alguns pães, e então parar em uma Cafeteria, pedir um café, e comer o próprio pão, já que as cafeterias não costumam vender coisas para comer, e vice-versa.

Tem sido complicado encontrar botijão de gás para fogareiro de padrão (rosca) universal no Marrocos. E me parece que existe etanol para vender em posto de gasolina.

Dependendo a região do Marrocos é legal aprender umas palavras básicas em Árabe, mas idealmente seria bom falar Francês.

Tem um aplicativo que usamos para ver a direção do vento, ele se chama Windy.

O uso de cartão de crédito tem funcionado bem no Marrocos para fazer saques, e o acesso ao caixa eletrônico é bem fácil nas cidades maiores.

Em cidades maiores também é possível fazer compras em supermercados e pagar com o cartão de crédito.

No final do episódio nós conversamos um pouco sobre a relação calos e dores na bunda x Selim Brooks.

capa-betterway2

Postado por Leonardo Joucowski

Um cara do bem, que se esforça para escrever algo legal. Casado com a Dani e em estado de inquietude eterna.

Comentários (0)

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *